Instruções para ser um voluntario ouvidor e contador de histórias

O Voluntário Ouvidor e Contador de Histórias

Contar histórias é uma das mais antigas manifestações do ser humano, uma atividade que resiste às diversas mudanças do mundo. Ao contar histórias, estamos proporcionando o acesso à cultura, o incentivo à leitura, estímulo ao imaginário e a movimentação das emoções que nos possibilitam viver.

O Contador de Histórias pode ser considerado uma figura mágica, encantadora e que nos transporta a outras realidades. O tempo passa e os narradores de histórias vão se transformando e se distinguindo dos narradores tradicionais. No entanto, a magia do “Era uma Vez…” não perde a amplitude imaginária que exerce sobre a plateia, seja ela qual for: crianças, jovens, adultos ou idosos.

Ouvir e contar histórias também desenvolve o potencial crítico. É poder pensar, duvidar, se perguntar e questionar. Contando histórias, estamos dando o primeiro passo para a conquista de um novo leitor.

Quase num passe de mágica, um livro é acariciado por mãos habilidosas e surgem muitas histórias.

Depois, alguém dotado de luz própria empresta a essas histórias sua alma.

Então o inesperado acontece:

Com fantoches, marionetes, máscaras, adereços e instrumentos musicais, o Contador e Ouvidor de Histórias movimenta personagens encantados, a magia dos reis e princesas, a esperteza dos heróis e a sabedoria dos bichos.

O Contador de Histórias ri, chora e faz brotar lágrimas de alegrias e de tristezas que não se esquecem mais.


E quem é o Contador e Ouvidor de Histórias?

É aquele que:

  • Participa do treinamento para se capacitar para a sua atuação com consciência, comprometimento e criatividade;
  • Pratica a Arte de Ouvir;
  • Deixa que muitas histórias aconteçam: Contos de Fadas, Contos Maravilhosos, Contos Tradicionais, Contos de Encantamento dos quatro cantos do mundo;
  • Fala à alma as misteriosas profundidades do coração e da imaginação;
  • Promove um escutar e olhar que se traduzem em percepções diversas, fazendo com que todos sintam o frio, o medo, a paz, a felicidade, a fome, as cores, os cheiros e as mais diversas sensações suscitadas pelas histórias que harmonizam, acalmam, despertam sentimentos adormecidos, fortalecem, trazem luzes e alternativas;

Qual o perfil de um Contador de Histórias?

O Ouvidor e Contador de Histórias deve ter algumas qualidades pessoais, como simplicidade, otimismo, graça, honestidade, equilíbrio emocional, bom humor, senso de justiça e, principalmente, calor humano. .

O contador, com sua criatividade, inteligência e imaginação, irá saber dar toques de entusiasmo às histórias, penetrar no mundo da fantasia que crianças, jovens e adultos possuem.

Precisa também:

  • Se identificar com a causa do Instituto História Viva;
  • Ter Idade acima de 18 anos para atuar em hospitais;
  • Ter qualquer idade para atuar em asilos, casas de apoio, escolas ou comunidade em geral;
  • Estar psicofisicamente apto;
  • Estar disposto a participar do processo de capacitação de 24 horas (divididos entre teoria, prática e , assim como da capacitação continuada.
  • Dispor de 2 horas semanais ou quinzenais para a sua atuação (temos oportunidades para tarde, noite e finais de semana) podendo se ausentar mediante justificativa ao líder de sua equipe.

Benefícios do trabalho voluntário

 Para o voluntário

  • Desenvolvimento pessoal e profissional;
  • Descoberta de novas potencialidades;
  • Aumento do círculo de amizades pessoais;
  • Discurso em público;
  • Melhora das relações interpessoais;
  • Conceitos de voluntariado, aumentando a empatia e preocupação com a saúde das relações contidas no ambiente de trabalho;
  • Valorização do trabalho realizado e das demais funções, melhorando os resultados esperados e o trabalho em equipe;
  • Participação na construção de uma sociedade mais justa.

 Para a organização social

  • O trabalho voluntário amplia os serviços prestados ao público beneficiado;
  • Os programas e serviços já existentes são fortalecidos;
  • São introduzidos novas habilidades, talentos e conhecimentos;
  • Os fundos e recursos podem ser aumentados;
  • Cresce a atenção, a credibilidade e o reconhecimento público;

 

Incorporação do voluntário

A incorporação do voluntário é feita por um processo de orientação, treinamento e integração à equipe de trabalho, desenvolvido de forma sequencial, coerente e progressiva.

O voluntário trabalhando em equipe

O voluntário do Instituto sempre desenvolve sua ação com oportunidades de trocas e crescimento pessoal. É importante que ele se sinta como parte de uma equipe que trabalha para atingir seu objetivo.

À medida que o número de voluntários aumenta, vão se formando grupos atuantes, nos hospitais, asilos, abrigos e casas de apoio parceiras do Instituto. Esses grupos geralmente têm uma atuação semanal ou quinzenal num dia e horário pré-definido pelos próprios membros do grupo.

Este grupo de voluntários do Instituto História Viva será considerado equipe ao ter consciência de seus objetivos, engajando-se para alcançá-los de forma compartilhada e organizada; quando a comunicação entre seus integrantes é efetiva e as opiniões divergentes são estimuladas e quando também:

  • É competente para administrar os próprios conflitos;
  • Possui confiança mútua e consciência de pertencimento;
  • Os riscos são assumidos;
  • As habilidades de seus integrantes são complementares;
  • Há investimento constante em seu próprio desenvolvimento;
  • Presta atenção constante (controle) em seu modo de atuar;
  • Procura resolver os problemas que afetam seu funcionamento, de forma sistematizada;
  • Existe um compromisso.

A equipe faz parte de um todo, no qual os objetivos determinados para ele fazem parte dos objetivos globais da organização. Dessa forma, está ligada, juntamente com as demais equipes, à coordenação técnica no que se refere à atividade desenvolvida e à coordenação de voluntários no que se refere a todo contato do voluntário com o Instituto História Viva.

Credo do Contador e Ouvidor de Histórias

Creio que a imaginação pode mais que o conhecimento

Que o mito pode mais que a história

Que os sonhos podem mais que os fatos

Que a esperança sempre vence a experiência

Que só o riso cura a tristeza

E creio que o amor pode mais que a morte

 

 

Receba a sua Newsletter

E-mail:

Faça Pessoas Felizes!

Quero Participar

Facebook

Fotos e Vídeos

História Viva p/ Ouvir e Contar

Baixe o livro

PDF – Clique Aqui

E-Book – Clique Aqui