Oficina A Arte de Contar Histórias – Curitiba

 Oficina A Arte de Contar Histórias em Curitiba

ATENÇÃO CURITIBA!

O Instituto História Viva apresenta mais uma Turma para Oficina

A Arte de Contar Histórias + 36ª Turma de Voluntários de Curitiba

1. Oficina da Arte de Encantar com Histórias – indicada para o público em geral e fundamental para quem atuar como voluntário
2. Ciclo de palestras e práticas – capacitação para atuação como voluntário

COMO SE INSCREVER: (ATENÇÃO PRAZO ATÉ DIA 30.09.18)

Enviar um e-mail para voluntario@historiaviva.org.br com:
Nome completo
Número do RG
Telefone
Contribuição: R$ 250,00

Assim que recebermos seu email, responderemos confirmando sua inscrição!

1.      CURSO DA ARTE DE ENCANTAR COM HISTÓRIAS

•       Data: 06/10/18
•       Horário: sábado das 9:00 as 17:00h;
•       Local: Rua General Aristides Athayde Junior 561 – Bigorrilho (esquina
Rua Martins Afonso)

2.      CICLO DE PALESTRAS E PRÁTICAS
Encontros do Programa de Voluntariado: FAE Business Scholl
Rua 24 de Maio, 135 – Centro – Curitiba/PR
Horários: sábados, das 9 às 12 horas
Datas:
– 20.10.18
– 10.11.18
– 24.11.18
– 08.12.18
Fevereiro a Abril – Atividades Práticas – Projeto Carona
Formatura – Data a confirmar.

IMPORTANTE: Para quem quer ser voluntário:
*o treinamento prático – Projeto Carona – será em dias e horários que você tiver disponibilidade junto às equipes de voluntários veteranos;
*como os encontros de formação são em módulos, se precisar faltar em algum não tem problema, você poderá repor no próximo.

Juntos vamos construir ainda mais histórias de alegria!!!

Objetivos

Promover a vivência do ato de contar histórias.

Estimular a criatividade e a desenvoltura na narração de histórias.

Oferecer possibilidades de lidar com as diversas situações enquanto contador.

Preparar os futuros voluntários do Projeto Ouvir e Contar do Instituto História Viva.

 

Conteúdo programático 

A importância da arte de contar histórias.

O uso de recursos visuais (tecidos, fitas, leques, fios, etc)

Identificação do repertório cultural de acordo com o interesse de cada participante: mitos, lendas, contos de fadas, contos maravilhosos etc.

Os objetivos profissionais e educacionais do ato de contar histórias.

A atuação do contador e a exploração de recursos visuais para se criar a ambientação.

Harmonização entre corpo, espaço físico e voz.

Diferença entre cenário e ambientação.

Desenvolvimento do estilo próprio de contar histórias.

Possibilidade de poetizar, brincar, aprender, ensinar, refletir e encantar. Hibridismo da narrativa oral com outras linguagens.

Possibilidade da arte de contar histórias fazendo parte do cotidiano: nas entrevistas, palestras, teatros, nos espaços públicos, nas escolas, nos hospitais, nos eventos, nas empresas, nas livrarias etc.

 

Público-alvo 

Interessados na arte de contar histórias, executivos, voluntários, educadores, pais e mães.

 

Metodologia

Como estratégias serão propostas atividades teóricas e, principalmente, práticas, em que o participante passa a vivenciar o ato de ouvir e contar histórias.

 

Justificativa: 

– A linguagem oral é a mais remota figura de comunicação entre as pessoas.

– A ação de contar e ouvir histórias possibilita o resgate da memória cultural e afetiva.

– Contar histórias é a mais antiga das artes. Nos velhos tempos, o povo se reunia ao redor do fogo para se esquentar, alegrar, dialogar, narrar acontecimentos.

– O ato de contar uma história, além de atividade lúdica, amplia a imaginação e ajuda a organizar sua fala, através da coerência e da realidade. O ver, sentir e ouvir são as primeiras disposições na memória das pessoas.

– Contar histórias é uma experiência de interação. Constitui um relacionamento cordial entre a pessoa que conta e os que ouvem. A interação que se estabelece aproxima os sujeitos envolvidos.

– Os contos enriquecem nosso espírito, iluminam nosso interior, e, ao mesmo tempo, nos tornam mais protagonistas na resolução dos problemas e mais flexíveis para aceitar diferenças.

– Contar histórias é também uma forma de ensinar temas éticos e cidadania e de propiciar um mundo imaginário que encanta adultos e crianças.

– Necessitamos ouvir histórias para desenvolver a imaginação, a observação, e a linguagem oral e escrita, assim como, o prazer pela arte, a habilidade de dar lógica aos acontecimentos e estimular o interesse pela leitura.

– Através da arte de contar histórias, podemos tornar possível a construção da aprendizagem relacionada à competência cognitiva, propiciando elaboração de conceitos, compreendendo sua atitude no mundo, e se identificando com papéis sociais que exercerá ao longo de sua existência.

– As histórias são extraordinárias ferramentas para a comunicação de valores, porque dão contexto a fatos abstratos, difíceis de serem transmitidos isoladamente. O contador de histórias, transforma-se em um mediador privilegiado dentro do contexto da educação quando leva o ouvinte a pesquisa e a novas produções.

 

 

Receba a sua Newsletter

E-mail:

Faça Pessoas Felizes!

Quero Participar

Facebook

Fotos e Vídeos

História Viva p/ Ouvir e Contar

Baixe o livro

PDF – Clique Aqui

E-Book – Clique Aqui